Maximo Recreio Condomínio Resort
Ola seja bem vindo. Fique à vontade para explorar o fórum no espaço aberto, mas lembre-se de fazer registrar-se e fazer login por favor (observe os links no menu ao topo do fórum).

Maximo Recreio Condomínio Resort

Espaço aberto para moradores e visitantes, relativo ao condomínio instalado no Recreio dos Bandeirantes em Agosto de 2011.
 
InícioInício  CalendárioCalendário  FAQFAQ  BuscarBuscar  MembrosMembros  GruposGrupos  Registrar-seRegistrar-se  Conectar-se  

Compartilhe | 
 

 Manual de Segurança em Condomínios

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
Murilo Perrone
Admin
avatar

Mensagens : 53
Data de inscrição : 06/08/2011

MensagemAssunto: Manual de Segurança em Condomínios   Sab Ago 06, 2011 3:32 am

O manual que estou postando aqui foi retirado do portal oficial do condomínio na Prohome. Apesar de estar disponível somente para moradores, trata-se apenas de um texto com orientações gerais e não especifico a este condomíno.

Atualmente, manter a segurança é, sem dúvida, uma das grandes preocupações de pessoas que moram em condomínios, principalmente os que estão localizados nos grandes centros urbanos. O manual de segurança em condomínios foi elaborado com o intuito de fornecer aos síndicos e moradores, informações e técnicas que, quando colocadas em prática, poderão ajudar a reduzir o elevado número de assaltos em condomínios e certamente também permitirá que todos se sintam muito mais seguros.

  1. Portaria

    O primeiro tema a ser abordado neste manual é, certamente, um dos mais importantes e por isso, merece uma atenção especial. A portaria de todo condomínio deve ser constantemente vigiada e requer alguns cuidados especiais para se evitar a entrada de pessoas estranhas em suas dependências.

    O autor Márcio Lúcio de Freitas, em seu manual de "Técnica de Segurança para Síndicos", classifica as portarias em abertas ou fechadas.

    São consideradas portarias abertas aquelas que possuem o acesso direto ao edifício e que apresentam apenas a entrada da rua.

    As portarias fechadas possuem mais de um portão para o acesso ao condomínio e, neste caso há uma comunicação (na maioria das vezes por meio de um interfone) entre do visitante e o porteiro.

    Sem dúvida, as portarias fechadas são consideradas muito mais seguras e, por esta razão, é recomendável que os condomínios tenham preferência por este tipo de portaria. Desta forma, fica mais fácil para o porteiro identificar o visitante antes de permitir que o mesmo entre no condomínio, e isso dificulta o acesso de pessoas suspeitas.

    Os sistemas de abertura da portaria também podem ser classificados em dois tipos distintos: o sistema convencional, em que o porteiro ou mesmo o morador abre o portão de entrada do edifício, utilizando uma chave e o sistema eletrônico. Neste caso, o portão é aberto por monitoração eletrônica, tornando desnecessário o uso da chave.

    Neste último sistema, característico das portarias fechadas, o porteiro primeiramente se comunica com o visitante (geralmente por meio de interfones), evitando desta forma, um contato direto com a outra pessoa, o que certamente evita que se crie uma condição favorável para que aconteça algum ato violento.

    Outro fator muito importante com relação a portaria, é a sua iluminação. Toda a iluminação do condomínio, principalmente nas entradas (social e de serviço) e garagem, deve ser constantemente verificada para que não existam falhas que possam prejudicar a segurança. Dentre as inúmeras medidas que visam manter a segurança e que devem ser tomadas, uma delas é reduzir a iluminação da portaria, principalmente durante a noite, pois isso dificulta a visão de quem está do lado de fora do condomínio, evitando desta forma que possíveis assaltantes tenha uma visão mais ampla e detalhada do condomínio. Porém, é também importante evitar o exagero na decoração e jardinagem na entrada do condomínio, pois isso pode obstruir a visão e provavelmente prejudicar a segurança.

    As entradas na portaria de um condomínio podem ser classificadas em vários tipos sendo que, de acordo com o autor Mário Lúcio de Freitas, são consideradas quatro principais:


    Entrada Preestabelecida - Neste tipo de entrada, o morador avisa ao porteiro, com antecedência, da chegada do visitante e também informa o motivo da visita.

    Entrada Direta - O visitante entra em contato direto com o porteiro ou com o morador através de porteiro eletrônico.

    Entrada Indireta - São consideradas como entradas indiretas, todas as portarias compostas de dois ambientes, ou seja, um que funciona como portaria propriamente dita e outra como uma sala de espera, isolada da portaria, onde o visitante aguarda o morador para um contato direto.

    Entrada por registros - Este tipo de entrada, tem a finalidade de controlar a entrada de pessoas no condomínio e por esse motivo, todo visitante deverá ser registrado na portaria, em um livro específico para tal controle.

  2. Garagem

    A Garagem, sem dúvida, merece uma atenção especial no que se refere a segurança, pois é constantemente alvo de roubos e na maioria das vezes é a porta de entrada de ladrões. Atualmente, também tem sido muito comum, o surgimento de quadrilhas especializadas em roubos de equipamentos de som e acessórios de carros dentro da garagem dos condomínios. Estas são apenas algumas razões pelas quais devemos ter uma preocupação especial com a segurança nas garagens. Os portões da garagem podem ser abertos ou fechados manualmente ou automaticamente.

    No sistema manual, o porteiro deve primeiramente identificar o veículo e se certificar de que o motorista é realmente um morador antes de abrir o portão. Caso o motorista não seja um morador, o porteiro deve pedir uma identificação antes de permitir sua entrada.

    No sistema automático a atenção deve ser redobrada, pois a maioria dos portões elétricos, após acionados, demoram um certo tempo para abrir e fechar novamente e este tempo pode ser suficiente para que os ladrões tenham acesso ao condomínio. Por isso, é muito importante que o porteiro preste bastante atenção quando um veículo entrar ou sair de uma garagem, pois neste momento pessoas se passando por moradores podem facilmente entrar nas dependências do condomínio. Como medida de segurança, o porteiro deve anotar a placa de todos os veículos que entram no condomínio e para facilitar a identificação dos veículos pertencentes aos moradores, o síndico pode providenciar algum sistema de identificação como, por exemplo, cartões ou adesivos nos vidros dos carros. O síndico também deve recomendar aos moradores para se certificarem diariamente de que seus carros estejam trancados corretamente e além disso, devem acionar os alarmes dos mesmos e evitar deixar objetos de valor expostos dentro do veículo. Com relação as bicicletas e motos que estejam na garagem, é recomendável a utilização de correntes a cadeados.

  3. Visitantes

    Este é, sem dúvida, um dos principais tópicos deste manual. O porteiro deve estar sempre atento as pessoas que se apresentam na portaria, sejam como visitantes ou como vendedores. A entrada nas dependências do condomínio só deve ser permitida após a identificação da pessoa e a sua autorização pelo morador do apartamento no qual o visitante pretende ir. O síndico deve providenciar fichas dos empregados domésticos que trabalham para moradores do condomínio, contendo algumas informações como, nome, número de documentos, fotos, etc.

    No caso de entregadores, é aconselhável que o porteiro avise ao morador pelo interfone ou porteiro eletrônico e que o morador se dirija a portaria para receber a entrega. Não é conveniente deixar o entregador entrar no condomínio para levar a encomenda, mesmo que o morador tenha confirmado que aguarda a entrega.

    Com relação a visita de funcionários de empresas prestadoras de serviços, tais como companhias de luz, gás, telefone, etc., entrada somente deve ser permitida após a completa identificação do profissional ou técnico. Um funcionário do condomínio deve acompanhar a visita do funcionário a(s) unidade(s) após avisar ao(s) morador(es) da visita.

    Para concluir, é importante lembrar que o porteiro e os demais funcionários do condomínio não devem se deixar impressionar com pessoas que se apresentem na portaria bem vestidas, com trajem que denotem uma falsa importância ou que vistam uniformes de empresas públicas se passando por funcionários, visando enganar o porteiro e com isso, entrar facilmente nas dependências do condomínio.

  4. Funcionários

    Os funcionários do condomínio devem estar preparados e atentos para manter os moradores e as dependências do condomínio em segurança.

    Um fator de extrema importância é sempre verificar quando um morador estiver entrando ou saindo do condomínio, se não existem pessoas suspeitas nas proximidades. Além disso, o portão só deve ser aberto após esta verificação.

    O funcionário deve estar sempre atento também quando for levar o lixo na rua e no horário de limpeza das áreas externas, pois pessoas suspeitas podem se aproveitar destes momentos de distração do funcionário para entrar nas dependências do condomínio. Por isso é muito importante que os funcionários tenham consciência de que o trabalho na portaria exige muita atenção e principalmente discrição, desta forma deve ser evitado qualquer tipo de conversas na portaria. O porteiro deve sempre evitar qualquer comentário sobre a vida particular dos moradores, tanto dentro como fora do condomínio, principalmente com estranhos. As conversas na portaria também devem ser evitadas, pois o trabalho do porteiro exige sempre muita atenção. Principalmente nos horários de maior movimento, em que a atenção na portaria deve ser redobrada . Estes horários são principalmente aqueles de saída e chegada de crianças e que estudam e adultos que trabalham.

    É importante lembrar que, o funcionário encarregado da portaria deve sempre suspeitar de pessoas estranhas que estejam carregando pacotes e que não saibam dizem com certeza o nome do morador que esteja procurando do condomínio. Caso o funcionário observe que há um veículo com um ou mais ocupantes estacionado nas proximidades do condomínio por um longo tempo ou no caso de um veículo com os mesmos ocupantes ficar rondando lentamente o condomínio, ele deve chamar a polícia o mais rápido possível.

  5. Dispositivos de Segurança

    A instalação de dispositivos de segurança em um condomínio é uma medida de extrema importância para conter e evitar, invasões, roubos e furtos nas dependências do condomínio. Os dispositivos de segurança mais comuns, são os alarmes e sensores, que juntamente com um circuito fechado de TV, impedem que os ladrões burlem a vigilância dos porteiros. Isto também permite que o porteiro observe as áreas mais importantes do condomínio ao mesmo tempo sem que haja a necessidade de sair da portaria. Além disso, todos que entram no condomínio saberão que estão sendo filmados e isso pode inibir qualquer ação mal intencionada. Os alarmes devem ser instalados em um lugar de fácil acesso para o porteiro, de modo que em caso de emergência seja fácil acioná-lo. O local mais comum é instalar na própria portaria um sistema de alarme, sendo também aconselhável, que este alarme, se possível, toque em algum prédio vizinho. Entretanto, o acionamento não deve ficar restrito somente a um local, pois caso o funcionário do condomínio que não estiver na portaria, pressentir uma situação de perigo e necessitar acionar o alarme, o mesmo deve estar ao seu alcance para que desta forma ele não deixe de evitar a invasão no condomínio.

    Os tipos de alarme mais comuns são os alarmes sonoros, eletrônicos ou luminosos:

    • Os alarmes sonoros são aqueles que emitem um forte ruído e por este motivo não são muito aconselháveis, pois podem provocar uma reação violenta no criminoso caso o mesmo tenha algum refém em seu poder.

    • Os alarmes eletrônicos são os mais utilizados na maioria dos condomínios, pois são considerados os mais seguros. Geralmente possuem uma tecnologia sofisticada e podem estar conectados a uma central de segurança, que assume todas as responsabilidades de ação diante de situações de emergência.

    • Os alarmes luminosos são aqueles que possuem uma luminosidade discreta e quando acionados permitem que a polícia seja acionada sem que o invasor perceba. É importante que estes alarmes sejam instalados em locais onde não sejam percebidos pelos criminosos, pois podem despertar suspeitas e provocar a fuga dos mesmos.

    Os sistemas de codificação também podem ser considerados uma tática que pode ser utilizada como medida de segurança. Uma comunicação por palavras previamente combinadas pode alertar para o perigo de uma tentativa de assalto. São várias as possibilidades de códigos que podem ser criados para uma situação de emergência. Uma sugestão, é criar algum código com o porteiro para o caso do morador chegar acompanhado de pessoas estranhas que possam tê-lo sob ameaça. Este código pode ser uma palavra-chave ou alguma frase combinada previamente, de modo que isso possa ser usado para alertar que pode ocorrer ou que está ocorrendo um assalto.

    O porteiro também deve estabelecer um gesto a ser usado no "olho mágico" para o caso do morador perceber que ele esteja acompanhado de uma ou mais pessoas desconhecidas quando for ao apartamento, pois isso pode indicar que ele se encontra sob ameaça de assalto. Assim, o morador poderá dar uma desculpa como, por exemplo, que está saindo do banho e que irá se vestir propriamente, e com isso ganhar tempo para avisar a polícia ou tomar outra atitude como, por exemplo, avisar na portaria sobre o fato. Estas são algumas medidas simples, mas que podem evitar um assalto.

  6. Meios de Comunicação na Portaria

    De acordo com o autor Mário Lúcio de Freitas, os meios de comunicação possíveis em um condomínio são a visão e o interfone.

    • Visão - O porteiro deve estar sempre atento e observar com atenção as pessoas que chegam até a portaria.
    É importante que ele visualize a pessoa, preferencialmente através de um circuito fechado de tv, antes de
    comunicar ao morador e permitir sua entrada.

    • Interfone - O meio de comunicação entre porteiros e condôminos é, sem dúvida, o interfone. O funcionário encarregado da portaria deve saber operar, com perfeição, todas funções que fazem parte da mesa de controle que se encontra na portaria além de zelar pela conservação do equipamento. Quando houver algum defeito, deve ser chamado imediatamente, um profissional de uma empresa conhecida para não comprometer a segurança do condomínio.

    Caso haja uma interrupção de energia, o interfone deve ser desligado, e somente deve ser ligado novamente após a volta da energia.

  7. Cuidados e Responsabilidades

    Os moradores devem se conscientizar das responsabilidades e cuidados que são necessários para uma segurança eficaz no condomínio. São pequenas atitudes, porém muito significativas que, sem dúvida, são extremamente importantes e úteis.

    • Os moradores devem evitar comentários pessoais, principalmente sobre seus ganhos, bens ou pertences guardados na residência, tanto com os funcionários do condomínio quanto com seus empregados domésticos.

    • Sempre que entrar ou sair do condomínio, procure observar se existem pessoas estranhas ou carros desconhecidos na portaria ou nas proximidades da mesma. Neste caso, avise ao porteiro e peça que ele comunique a polícia.

    • Quando estiver saindo ou entrando na garagem e perceber que existem pessoas suspeitas ao redor, a melhor coisa a ser feita é dar voltas com o veículo até que se sinta em segurança para entrar no condomínio.

    • No caso de assalto procure manter a calma e não reagir ou discutir com os assaltantes em hipótese alguma. Observe com atenção as características físicas do(s) assaltante(s) para fornecer estas informações a polícia posteriormente.

    • Quando estiver viajando peça a um vizinho de sua confiança que verifique freqüentemente sua residência no período que você estiver ausente, para se certificar de que tudo está em ordem.

    • Durante a sua ausência cancele a entrega de jornais ou revistas, pois além de seguro também é mais econômico.

    • Evite deixar as chaves de sua residência com o porteiro ou outros empregados do condomínio ou mesmo empregados domésticos. Pois, caso ele seja atacado não terá chaves para abrir as residências dos moradores.

    • Oriente as crianças para nunca abrirem a porta para pessoas estranhas.

    • Sempre que for contratar algum empregado como, por exemplo, babás, faxineiras, motoristas, etc., solicite antes a documentação completa da pessoa e referências pessoais. Nunca receba os candidatos dentro da residência, mas sim, na portaria do condomínio.

  8. Cuidados e Responsabilidades do Síndico

    O Síndico também deve fazer sua parte e ter alguns cuidados especiais com relação à segurança do condomínio. Estas são algumas das precauções que um síndico deve ter ao administrar um condomínio:

    • Sempre que contratar um novo funcionário para o condomínio, o síndico deve primeiramente, verificar as referências e antecedentes do funcionário, assim como, anotar todos os seus dados em um livro de registros e sempre anexar aos documentos uma fotografia recente do funcionário.

    • Providenciar os equipamentos de segurança mais modernos e que estejam de acordo com o orçamento do condomínio, principalmente circuito interno de TV, pois isso permite que o porteiro visualize o visitante antes de permitir sua entrada e além disso, também devem ser colocadas guaritas na entrada e portões com grades altas ao redor do prédio.

    • O Síndico é responsável pela manutenção não só dos equipamentos de segurança, mas também por tudo que faz parte do condomínio. Por isso, deve sempre verificar o funcionamento dos portões da garagem, interfones, elevadores, bombas de água, extintores de incêndio, etc., e caso haja necessidade de providenciar algum reparo, isto deve ser feito o mais rápido possível, para evitar que o problema se agrave.

    • Orientar os porteiros para que realizem seu trabalho com atenção redobrada, principalmente nos horários de maior movimento na portaria.

    • O síndico deve sempre fiscalizar o trabalho de todos os funcionários do condomínio e sempre que possível permitir que os mesmos participem de cursos visando a segurança e a melhoria na qualidade das tarefas executadas.

    • Quando estiver sendo executada alguma obra no condomínio, o síndico deve se certificar de que os funcionários contratados são de sua total confiança e também deve sempre supervisionar o andamento das obras.

    • O síndico também pode providenciar uma ficha, para o uso do porteiro, contendo alguns dados dos condôminos como, por exemplo, nome dos moradores de cada unidade e quantidade de carros e número da(s) placa(s).


Fontes:
FREITAS, Mário Lúcio - "Técnica de Segurança para Síndicos" - SECOVI-RJ
Manual de orientações básicas à segurança do cidadão, para redução dos roubos e furtos em residências. (Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro - Comando de Policiamento da Capital)
Manual do Sindico (Guia páginas amarelas) - SECOVI-RJ
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
 
Manual de Segurança em Condomínios
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» Medidas de Segurança atuais para viagens internacionais.
» [Brasil] Embraer Defesa e Segurança seleciona a Hamilton Sundstrand para o programa KC-390
» Push-back manual
» Manual de como usar o FMC do 737-800 PMDG FS2004
» Manual antigo da Varig

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Maximo Recreio Condomínio Resort :: Espaço Aberto :: Divulgações Públicas-
Ir para: